‘CRIANÇA FELIZ’ AJUDA NO DESENVOLVIMENTO DOS PEQUENOS MAGEENSES

Até o momento, 750 famílias aderiram ao programa conduzido pela SMASDH

O Programa Criança Feliz já é uma realidade em Magé. Desde julho, os visitadores da Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos estão fazendo o acompanhamento das famílias participantes do Programa Federal Criança Feliz, que busca estimular o desenvolvimento integral de crianças em situação de risco ou vulnerabilidade social no período da primeira infância.

A primeira infância é a fase determinante para o desenvolvimento de habilidades de coordenação, memória e capacidade de aprendizado. Para pequena Aylla, de um ano e três meses, o programa está sendo um diferencial no seu desenvolvimento, já que ela nasceu prematura e ainda não conseguia andar.

“Esse programa está sendo muito importante, porque está ajudando na coordenação motora da minha filha. Essas atividades que a visitadora faz são muito legais, minha pequena está se desenvolvendo, ela é prematura e isso estava atrasando o desenvolvimento dela. Agora, com um mês de atividades, ela já está até andando e quase correndo”, contou aos risos Laís de Andrade, mãe da Aylla, que indica o programa às famílias mageenses.

O Criança Feliz é um programa federal, que acompanha crianças de famílias inscritas no CadÚnico, desde a gestação até os três anos. Para as crianças com deficiência que recebem o BPC, o atendimento vai até os seis anos. A Assistência, a Educação e a Saúde estão caminhando juntas para mudar a realidade das famílias mageenses.

“Inicialmente a gente tenta quebrar o gelo e vamos às casas para apresentar o programa. Depois que a família aceita, realizamos o acompanhamento, quando a gente começa a fazer parte do vínculo familiar. Nosso objetivo é potenciar o momento de união entre as famílias com os filhos e estimular as crianças cada vez mais. Trabalhamos com brinquedos recicláveis, atividades psicomotoras e exercícios para avaliarmos se a criança está fazendo tudo de acordo com aquela idade, se ela tem um déficit ou precisa de mais estímulo para se desenvolver”, explicou a visitadora, Fernanda Cardoso.

“Além desse trabalho, verificamos com as famílias quais são as suas necessidades, desde a documentação até uma consulta médica, por exemplo. Perguntamos de tudo um pouco para que a gente possa ajudar aquela família”, completou a visitadora.

Dos 92 municípios do Estado do Rio de Janeiro, 38 já aderiram ao programa federal, inclusive Magé, que já conta com 750 adesões, sendo 695 acompanhamentos com crianças de até três anos e mais cinco crianças na faixa etária até seis anos do BPC e mais 50 gestantes.

“O programa veio para fortalecer as ações da Secretaria de Assistência Social em Magé. Nossas equipes estão super empolgadas e realizando o trabalho com muita dedicação às famílias assistidas. Nosso programa já funciona há mais de mês e já temos 750 famílias cadastradas. Os depoimentos das famílias mostram que estamos no caminho certo e ver as crianças se desenvolvendo é a colheita desse trabalho de sucesso”, disse Dulcinéia Brum, coordenadora do programa em Magé.

Fotos: Douglas Lopes

DEIXE UMA RESPOSTA