FÓRUM MUNICIPAL DOS DIREITOS DA MULHER E REALIZADO EM MAGÉ

Evento elegeu entidades que representarão o Conselho

Com o objetivo de ativar o Conselho Municipal dos Direitos da Mulher foi realizado nesta quarta-feira (14), em Magé, o Fórum Municipal com o tema. O evento foi realizado no auditório da Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos, e reuniu sociedade civil e representantes de instituições.

O Conselho Municipal foi instituído pela Lei Municipal 2479/2019, mas ainda não tinha sido eleito. Quatro associações foram eleitas para representar a sociedade civil no Conselho. Titular: Comitê da Mulher Mageense; Sisma; Centro de Cultura Afro de Piabetá; Cooperativa de Produtos Agrícolas de Magé. E como suplente: Movimento Organizado de Mulheres, Fórum de Mulheres Negras, Unegro e OAB.

“Para nós é um motivo de grande alegria fazer parte dessa construção. Construir essa nova história na luta dos direitos da mulher. Nós lutamos pelo direito de tantos grupos, e a mulher está com seus direitos muito fragmentados. Que possamos desfrutar desse momento, e me coloco a disposição de esclarecer qualquer dúvida”, coordenadora do Creas, Mônica de Oliveira.

A secretária de Assistência Social e Direitos Humanos, Álison Brandão, compôs a mesa de abertura. “Nós temos nos empenhado para garantir o direito em todos dos segmentos. Vamos utilizar todos os equipamentos para atender os direitos de quem tiver o direito violado. Que nós possamos aqui hoje fortalecer esses vínculos, com o conselho montado e os membros eleitos. Agradeço a presença de todos. Desde que a lei foi implantada estávamos em cima desse conselho, ultrapassando os deveres burocráticos, e agora tenho certeza que será um conselho fortalecido para trabalhar juntos em prol da mulher mageense”, disse.

A presidente do Conselho Estadual da Mulher falou sobre a importância da sociedade tomar a frente nesse momento. “Estou tão feliz de ver essa sala tão cheia de mulheres, que estão se organizando na luta por nossos direitos. Quem perdeu até agora foi o estado, a criação desse conselho é algo muito inteligente, porque o Conselho não está para atrapalhar o governo, mas para articular, com a ponta. Então nós sabemos porque estamos aqui, não há limite para o nosso querer e nós só queremos direitos fundamentais, direitos de igualdade”, reforçou.

A vice presidente do Conselho Municipal da Assistência Social, Rita Tavares falou sobre a luta pelos direitos. “Tenho a dizer a vocês que nós podemos o que queremos, se tivermos coragem. A prova está aqui, o conselho chamando seus representantes, um conselho que vem se arrastando ao longo dos anos, e que hoje está aqui saindo do papel. Para mostrar que as mulheres estão aqui para buscar seus direitos. Estamos aqui para representar mulheres que sofrem, e que serão defendidos os direitos delas. Colocamos aqui o conselho da Assistência a disposição desse novo conselho”, disse.

Fotos: Gerson Peres

DEIXE UMA RESPOSTA