OPERAÇÃO VERÃO ORIENTA BANHISTAS NA PRESERVAÇÃO DAS CACHOEIRAS DE MAGÉ

Precaução com situações de cabeça d’água também estão entre as orientações

Foto: Gerson Peres

A Operação Verão tem o objetivo de conscientizar os visitantes sobre a importância da preservação das cachoeiras do município e também realizar fiscalizações em busca de proteger o meio ambiente e garantir ordem no acesso às cachoeiras. Para isso, a Defesa Civil divulgou algumas orientações para os banhistas.

“Orientamos que os visitantes não levem churrasqueiras para dentro das cachoeiras, não consumam nenhum tipo de bebidas em recipiente de vidro e para que não joguem lixos nas ruas. Informamos também para cada um juntar seu lixo no final do passeio e estacionarem nos devidos lugares”, afirmou o coordenador de Defesa Civil, Johnatan Mello.

No mês de dezembro, as cachoeiras receberam cerca de 4 mil visitantes, impulsionando o turismo local. As cachoeiras encontradas na subida do Véu da Noiva foram as mais visitadas no ano de 2019. Outros pontos turísticos que receberam um grande número de turistas foram as cachoeiras de Andorinhas, Monjolos e Tamanqueiro.

“Magé agora faz parte do mapa turístico do Ministério do Turismo, através do projeto Baixada Verde, e se destaca por suas belezas naturais, história e cultura. Com isso, o desenvolvimento econômico do município aumenta, trazendo mais investimentos e qualidade de vida para a população”, explicou o diretor de Turismo, Caio Bordignon.

Uma das maiores preocupações nesta época são as conhecidas cabeças d’água, uma situação adversa causada por um grande volume de chuvas em topos de montanhas.

“O ideal é evitar as cachoeiras em dia de previsão de chuvas. As pessoas sempre devem marcar uma pedra que não esteja totalmente submersa para monitorar o aumento de nível da água. Outra dica é prestar atenção na força da água, na coloração, procurar vestígios de galhos e folhas descendo pela correnteza e também se há aumento na força do vento”, contou o técnico de Defesa Civil, Arthur Castilho.

Segundo a Defesa Civil, é importante que os banhistas não tentem enfrentar a força do rio, que pode trazer muitos troncos e galhos que ocasionam risco para quem estiver na água. Caso não dê para sair do rio no meio de uma enxurrada, os visitantes devem procurar locais altos e esperar o fluxo diminuir. A Prefeitura pede que a população não se coloque em risco para tentar ajudar sem o equipamento e o treinamento necessário para o resgate. Em caso de emergência, ligue para o bombeiro através do disque 193 ou pelo telefone do 2º GSFMA (21) 2633-6910.