PROGRAMA DE SAÚDE DO HOMEM EMITE ALERTA PARA O PÚBLICO MASCULINO SOBRE A COVID-19

Cerca de 45% das pessoas contaminadas pela Covid-19 no município de Magé são do sexo masculino

No final do mês de março o Ministério da Saúde divulgou dados sobre óbitos da Covid-19 no Brasil, e mostrou que 68% das vítimas eram do sexo masculino e 32% do sexo feminino. Em Magé, de acordo com o último boletim epidemiológico da Secretaria Municipal de Saúde, 45% dos casos confirmados são do sexo masculino. Na Itália, entre as pessoas afetadas pela doença um relatório nacional demonstrou que os pacientes em UTIs eram em sua maioria homens, com cerca de 82% de leitos ocupados por eles.

A pandemia da Covid-19 vem modificando e gerando muitos impactos na qualidade e na expectativa de vida da população, mas nos homens esse impacto tem sido maior. Existem indícios de que os homens correm maior risco de desenvolver os sintomas mais graves em relação às mulheres.

Sala de espera realizada pelo Programa Saúde do Homem, antes da pandemia de covid-19. Foto: Acervo SMS

A assistente social Roberta Bernardino, do Programa Saúde do Homem do município de Magé, ressalta que “os números mostram que os homens estão mais propensos a desenvolverem os sintomas mais graves da Covid-19, então nesse momento é necessário que eles redobrem os cuidados com a saúde como o distanciamento social, lavagem frequente das mãos e evitem o excesso de álcool, do fumo e não descuidem das doenças como hipertensão e diabetes. Devido a pandemia a nossa sala de espera que acontecia todos os sábados e era dedicada ao público masculino está suspensa por ser uma das atividades em grupo. Mas as Unidades de Saúde da Família estão funcionando e preparadas para orientá-los, porque homem que se cuida não perde o melhor da vida”, explicou.

Os homens que possuem doenças como hipertensão, diabetes, doenças respiratórias e imunodeprimidos também fazem parte do grupo de risco, e por isso devem manter essas doenças controladas e ainda redobrar os cuidados. Os que são fumantes prejudicam as defesas do organismo, além de ajudar a comprometer os pulmões e ainda provocar diversas doenças como infartos, AVCs, doenças reumáticas, enfisema pulmonar entre outras que afetam o trato respiratório. Por isso, o risco de agravos da Covid-19 pode aumentar nos fumantes, devido ao organismo já estar comprometido.

 

 

Texto: Philipe Campos

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA